Total de visualizações de página

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

O AMOR LIBERTA, O JULGAMENTO APRISIONA.






Hoje foi um dia bem eclético: recebi algumas patadas de uns, e gestos de amor de outros.

Essa é a vida. Aprendi a não me abater com os ataques nem a me vangloriar ou envaidecer com os gestos a meu favor. Cada pessoa dá a você, em certo momento, o que você precisa para lapidar sua alma. O segredo para se conseguir isso é não deixar que o ego fale por si. O ego foi feito para nos testar. Quem a ele sucumbe é escravo das emoções e sob o regime de escravidão é impossível crescer.É importante perceber que  tudo o que fazem em sua direção tem o propósito de ensinar-lhe algo. Em vez de criticar o outro, aproveite a oportunidade para si. E como dizia uma sábia amiga - a gente só tem as experiências que precisa ter.

Não julgar ninguém é a chave para abrir uma porta que nos leva a uma vida mais leve. Quando a gente não se envolve na problemática do outro pode-se até sentir amor e compaixão por essa pessoa que nos atacou. Optando por não reagir negativamente nasce uma liberdade imediata.

Acabei de levar uma pedrada, reagi de forma educada mas aceitando que essa pessoa não quer mais fazer parte de meus contatos, e mal sabe ela que está confundindo as coisas. Não tentei explicar. Ela foi direta e eu entendi a mensagem. Seria um diálogo infrutífero, como alguém que quer convencê-lo a ser do partido x ou y ou a seguir a religião w ou z. Não quero convencer ninguém. Prefiro a filosofia da flor, aberta no jardim à espera das abelhas e borboletas. A flor está lá, o perfume é para quem quiser senti-lo.

Confio muito em que há um anjo me dando chances na vida. Ele às vezes não me poupa, mas me testa. Foi incrível o que aconteceu. Acabei de ser agredida e logo em seguida recebi uma outra mensagem de uma amiga que me quer muito bem há mais de 35 anos. Mandou-me a foto acima convidado-me a caminharmos juntas por esse lugar maravilhoso.

Deus fecha uma porta, mas abre uma janela do tamanho do mundo!!!

Nenhum comentário: